Número total de visualizações de página

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

O amor já anda no ar...

Embora o inverno ainda habite a natureza, a nossa Biblioteca já se vestiu de festa e de poesia para receber calorosas mensagens de amor, amizade e alegria!
Partilhar afetos é o que há de melhor, qualquer que seja a estação do ano!
Queres experimentar?
Vem à Biblioteca António Torrado! 
Esperam-te uma abraço e....uma montanha de surpresas...

Consulta o programa.
                                         
                                                            Equipa da Biblioteca

Amor com humor...

"Semana dos Afetos" com humor...

-Amor, estamos casados há vinte anos e nem jóia me compraste...
-Eu sabia lá que vendias jóias!
 ____________________________________________

-Querido, preferes mulheres bonitas ou inteligentes?
-Nenhuma, só tenho olhos para ti...
___________________________________________
-Tem daqueles postais para namorados que dizem "Ao meu único amor"?
-Tenho, sim, menina.
-Então quero uma dúzia, por favor.

Recolha de António Francisco
Equipa do Gualdim em linha

Gil Vicente um escritor intemporal!


Na verdade, o Saber não ocupa lugar, por isso, lê este resumo referente a uma obra de Gil Vicente de cariz intemporal!
(  alunos do 9º ano- Escola Gualdim Pais)

Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente

O “Auto da Barca do Inferno” de Gil Vicente, um clássico da literatura,  retrata a sociedade portuguesa do século XVI e ao mesmo tempo aborda temas atuais, satirizando a sociedade.
O Auto é uma peça teatral, divida em cenas e atos, escrita em 1517. O cenário desta obra é um porto/cais onde se encontram duas barcas, uma conduz as almas ao inferno e a outra ao paraíso, sendo uma guiada por um Diabo e a outra por um Anjo.


Resumo do livro  
O primeiro personagem na chegada e julgamento das almas é o Fidalgo, representante da nobreza e do luxo, que em vida foi tirano e vivia de luxúria. O Diabo diz que aquela é a sua barca e que ele deve entrar ali. Ele recusa-se e diz que muitas pessoas rezam por ele. Ao pedir para entrar na barca do Anjo que leva ao paraíso o seu pedido é negado devido aos pecados que cometeu. Ele dirige-se, então, para a barca do inferno e tenta convencer o diabo a ver a sua amada, porém o Diabo revela que ela o enganava.
O próximo personagem é o Onzeneiro, uma espécie de agiota da época, ele tenta convencer o Anjo a deixá-lo ir para o paraíso mas o pedido é negado pois ele foi ganancioso e avarento. Ele tenta subornar o diabo e diz que quer voltar para apanhar toda a sua riqueza acumulada ao longo de décadas, porém o pedido é recusado e ele entra na barca do inferno.
Seguidamente, vem Joane, o Parvo, que significa um tolo e inocente, que vivia de forma simples. O Diabo tenta enganá-lo para entrar na barca, mas quando ele descobre o destino corre para conversar com o Anjo que por fim devido a sua humildade (falta de malícia) o autoriza a subir na barca.
A próxima alma a chegar é a do Sapateiro, que chega com todos os seus instrumentos de trabalho. Ele julga-se trabalhador e inocente, por isso pede ao Anjo para deixá-lo ir para o paraíso, o pedido porém é negado já que ele roubou e enganou seus clientes. Ele acaba por entrar na barca do Diabo.
O quinto a chegar é o Frade, que segue em direção ao Anjo convicto que por ser um membro da igreja ali é o seu lugar. Porém, como chega com a sua amante e é condenado pelo Anjo por falso moralismo religioso, deve ir para o inferno. Indignado ele segue aceita o seu destino.
Brízida Vaz é a próxima, uma alcoviteira que chega junto ao Anjo com o argumento de possuir seiscentos virgos postiços, que seriam hímens. Isso dá a entender que prostituía meninas virgens. Ela é condenada por bruxaria e prostituição, e entra então na barca do Diabo.
Em seguida chega o Judeu, de nome Semifará, acompanhado de um bode. Nem o Anjo ou o Diabo o quer em sua barca. Ele não pode chegar perto do Anjo acusado de não aceitar o cristianismo, e então tenta convencer o Diabo a levá-lo, que aceita com a condição que ele seria rebocado, tal como o bode, não entrando dentro da barca. Esta é uma crítica ao movimento que acontecia na época, em que muitos judeus foram expulsos de Portugal e os que ficaram deveriam converter-se.
Por fim chegam os representantes da lei, um Corregedor e um Procurador, que aparecem com seus livros e processos nas mãos e tentam argumentar a sua entrada no céu. Porém são impedidos e acusados por manipular a justiça para o bem próprio (deixavam - se subornar). Eles seguem para a barca do inferno, onde parecem já conhecer a alcoviteira.
Os últimos a chegar são os Quatro Cavaleiros que lutaram e morreram defendendo o cristianismo ( pelejando no norte de África), por isso são perdoados dos seus pecados. Estes fazem um apelo aos mortais, alertando-os de que aquele cais existe, logo devem levar uma vida correta, praticar boas ações, de modo a terem uma vida eterna feliz. Estes são perdoados de todo o mal, acabando por entrar na barca do Anjo. 
(resumo Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente) – texto adaptado






quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Vamos ao centro comercial - poema de Luísa Ducla Soares

O Pedro Conceição leva-nos ao Planeta Azul de Luísa Ducla Soares e empresta a sua voz para ficarmos a conhecer o poema "Vamos ao centro comercial".

Equipa do GUALDIM em linha

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

       Dia de Reis com o 6ºA

     No dia 8 de janeiro, ao longo de toda a manhã, alguns dos alunos do 6ºA acompanhados pela professora de Música - Luísa Lains - percorreram vários espaços da nossa escola cantando canções alusivas ao «Dia de Reis».
     Foi uma manhã animada e até os alunos mais envergonhados se divertiram.
     Cumpriu-se uma tradição da nossa escola e só foi pena não terem participado todos alunos do 6ºA, mas a única razão para isto é o facto de alguns alunos frequentarem o ensino articulado e não terem aulas de música na escola.
     Com a chegada dos Reis Magos a Belém e a oferta dos presentes ao Deus Menino, terminam os festejos natalícios.
     Preparemo-nos, agora, para o S. Valentim e para o Carnaval.
                                                              Equipa do GUALDIM em linha
                                                                                            João Carrão 6ºA






terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Imagem relacionada


Feliz 2018!
A equipa do Gualdim em Linha  deseja a todos um feliz ano de 2018.
Esperamos que tenham um ano cheio de felicidade e que se cumpram todos os vossos desejos e promessas para 2018!
Este ano, a nossa equipa vai voltar em grande. Vamos ter novas publicações e estamos a montar o Gualdim em linha – versão rádio!!
Neste novo ano, faça com o  tempo o que ele faz com você. Aproveite-se dele! Curta cada dia! Ligue-se a nós!
           FELIZ ANO NOVO!!!

                                            Gualdim Sempre em Linha.

                                            Pela equipa,  Leonor Ribeiro e António Francisco

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017


A florestação

O pinhal de Leiria ardeu
E as pessoas ficaram esquecidas
Toda a gente se aborreceu
há pessoas que ficaram perdidas.

A maldição deu cabo delas
Não sabiam o que fazer
Acenderam-se velas
Tudo estava a arder.

As pessoas manifestaram-se
Foi um grande desastre
Algumas até mataram
E outras foram usadas. Trastes.

Todo aquele verde escureceu,
tristes os que ali assistiam
Meu coração com eles ardeu
Os que salvarem-se não conseguiam.

Os animais desorientados
questionando o que se estava a passar
Corriam por todos os lados
Estavam mesmo cercados?



Leonor Ribeiro 6ºC

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Gualdim em linha, a equipa …


E finalmente fez-se luz…ou melhor, fez-se imagem e som!
É a equipa do Gualdim em linha…
Andámos em experiências, em conversas, em trocas… mas parece que encontrámos um caminho, o caminho possível neste momento, sempre com a ideia de que as palavras não podem deixar de nos acompanhar… 

O mundo das tecnologias está cheio de armadilhas... E nós fazemos de tudo um pouco, desde a escolha dos temas à redação e leitura dos textos. E as ideias são tantas, tantas, tantas,que o difícil é selecionar, negociar, conviver e respeitar. 

Com a nossa equipa sempre pronta a colaborar, queremos trazer-vos novidades, sempre com  muita diversão à mistura!
Até breve

As leituras são como as cerejas...: SUGESTÕES DE LEITURA

As leituras são como as cerejas...: SUGESTÕES DE LEITURA

SUGESTÕES DE LEITURA

Sempre em linha                                     

   Olá seguidores do Gualdim em Linha! Hoje viemos para vos fazer uma sugestão de leitura "A bicicleta que tinha bigodes" do escritor angolano Ondjaki.
  Esta "estória" é sobre um rapaz morador no mesmo bairro que o Tio Rui. O Tio Rui escreve "estórias" tão boas que são apresentadas em  países "muito internacionais".
   Quando a Rádio Nacional abre um concurso para ganhar uma bicicleta, este menino sem nome fica muito empolgado, mas têm de inventar uma "estória". Sinceramente, não é muito bom nisso.
   Um livro cheio de aventuras, com a Isaura, o JorgeTemCalma, o CamaradaMudo e o Tio Rui.      
   O Gualdim em Linha  aconselha estas "estórias sem luz elétrica".
   Querem ver uma entrevista dada pelo escritor?
   Espreita aqui!



    Gualdim, sempre em Linha

   Laura André
  A equipa do Gualdim em Linha



terça-feira, 28 de novembro de 2017

                                      Já chove!




Para que possas
saltar nas poças,
não te esqueças das botas.
Veste um agasalho
e tem cuidado com o orvalho.
Já chove e faz frio.
Hoje tive um arrepio…
Que contente está o nosso rio!
Chove e eu estou feliz.
Que bom para o meu país!


Diana Tomaz, Inês Ferreira, Matilde Mendes, Maria Rita Matos, Carolina Filipe, Carlos Carmo, Lara Ribeiro, Rafael Antunes, Artur Vergonjeanne, Leandro Henriques - 6ºC
DIA MUNDIAL DA DEFICIÊNCIA












Neste dia especial
Ajudarei um amigo
A atravessar uma estrada,
Sem perigo.                                                                      
Vou oferecer-lhe um livro
E ele dar-me-á um abraço sentido,
Na escola, vou protegê-lo
Do bullying dos colegas desrespeitadores,
Que não o respeitam
Só por diferente SER!
Vamos com a nossa voz alertar,
Que com a diferença
Não se deve gozar!                                                                               
Pois é nosso dever Integrar!
Tito  Matos
Gabriel   Antunes
Manuel  Silva

7ºB



quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Ainda sobre o Dia Nacional do Mar...





Dia Nacional do Mar

E porque o mar é nosso, a Biblioteca  da nossa escola não quis deixar de comemorar esta efeméride...
À vossa disposição está um conjunto de livros sobre o mar... diferentes olhares sobre este tema tão importante para os portugueses de hoje e de ontem!
A Biblioteca espera-vos!!!
Olhemos para o NOSSO MAR a partir dos olhares de diferentes autores, sempre com os olhos postos no futuro!

O NOSSO MAR exige a atenção de todos!
A equipa da BE




16 de novembro - DIA NACIONAL do MAR

Dia Nacional do Mar


O Dia Nacional do Mar celebra-se a 16 de novembro.
Neste dia decorrem várias iniciativas em Portugal tendo em vista mostrar a importância do mar para a economia e para o desenvolvimento nacional.

Importância do mar
O mar assume uma importância estratégica para Portugal, sendo um setor vital para a economia portuguesa.
De acordo com dados divulgados em 2013, o mar português dá trabalho a 100 mil pessoas e representa uma riqueza anual de 8 mil milhões de euros.

Origem da data
A celebração do Dia Nacional do Mar teve origem na "Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar", que entrou em vigor a 16 de novembro de 1994. Portugal ratificou o documento em 1997.
Esta convenção é muito importante, pois é a partir dela que são estabelecidos, entre outros, os limites marítimos inerentes à Zona Económica Exclusiva e à Plataforma Continental.
Portugal é um país fortemente ligado ao mar, ficando marcado para a posterioridade como o país dos Descobrimentos marítimos.

Reflexões e olhares sobre o nosso mar…
Os pescadores devem ter redes adequadas para que os peixes mais pequenos não sejam apanhados e terem tempo de se reproduzirem, dando origem a novos peixes.
Matilde Mendes (6ºC)        

O mar é precioso. É impossível viver sem ele!
Inês Sofia  (6ºC)

O mar manda uma mensagem numa garrafa a pedir para não o poluirmos.
Leandro Henriques (6ºC)

Os pescadores não podem pescar todo o peixe porque se não a terra é destruída.
Artur Roxo (6ºC)


As embarcações  não deverão deixar o mar poluído.  
(Carlos 6ºC).    


A água poluída não é saudável para ninguém.
Diana Filipa (6ºC)